Medicina da UFMS promove ações de educação em saúde para os idosos do Centro de Convivência “Tia Nega” de Três Lagoas

Postado por: Gestor do Site

O curso de Medicina do campus de Três Lagoas teve início em agosto de 2014 em decorrência do processo de expansão fomentado pelo Ministério da Educação em 2012. Com o objetivo de formar médicos que atendam às necessidades de saúde da população, de maneira ética e humana, os alunos de Medicina são inseridos em atividades práticas desde o primeiro ano da graduação.

Sob a supervisão das professoras Mônica Mussolini Larroque e Rosimeire Aparecida Manoel e coordenação da professora Bruna Moretti Luchesi, os alunos do 1º ano do curso desenvolveram parte das atividades práticas da disciplina Atenção à Saúde no Ciclo Vital II (Saúde do Idoso) no Centro de Convivência “Tia Nega”.

Convém lembrar que o “Tia Nega” é um serviço da Secretaria Municipal de Assistência Social da Prefeitura de Três Lagoas, que atende em média cinquenta idosos por período, todos os dias da semana. Os Centros de Convivência se configuram como um serviço de convivência e fortalecimento de vínculo, com caráter preventivo e proativo, e tem como objetivos contribuir para o processo de envelhecimento ativo, saudável e autônomo, proporcionar trocas intergeracionais e convívio familiar e comunitário, desenvolver as potencialidades dos idosos e estimular sua condição de escolher e decidir.

Segundo a coordenadora da disciplina, Profa. Dra. Bruna M. Luchesi

Escolhemos o “Tia Nega” como cenário para as atividades práticas por representar um espaço oportuno para o desenvolvimento de ações que atendam as diretrizes da Política Nacional de Saúde da Pessoa Idosa, com destaque para a promoção do envelhecimento ativo e saudável e a formação de profissionais de saúde”.

O foco das atividades foram as ações de educação em saúde, com a finalidade de atender as necessidades apontadas pelos idosos e desenvolver as habilidades e competências técnicas e humanas dos alunos. Desse modo, os temas trabalhados no 1º semestre de 2018 foram: hipertensão arterial, diabetes, depressão, memória, ronco e medicação.

Com uma metodologia diversificada, os alunos juntamente com as supervisoras planejavam e executavam as ações, sempre buscando estimular a participação dos idosos e relacionando com a prática os conteúdos teóricos abordados nas aulas. Realizaram gincana, jogo da “batata quente” e dos “mitos e verdades”, cantaram paródias e desenvolveram atividades de estimulação da memória. Além disso, as ações propostas visavam promover a interação intergeracional entre jovem e idoso.

“Eu vi como uma troca porque, a princípio, nós estamos começando a desenvolver a comunicação, a realizar uma boa anamnese e a observar mais, e lá eles foram muito receptivos, nos acolheram, fizeram as dinâmicas conosco muito animados e conversaram muito com a gente, o que foi muito bom” – Eduarda Tanaka, acadêmica de Medicina.

“Tive a oportunidade de conversar com alguns e notei que sentem muito orgulho do que fizeram, do quanto trabalharam e do quanto respeitaram os outros no decorrer de suas respectivas trajetórias, foram relatos muito inspiradores e que me acompanharão no exercício da profissão” – Isadora Cecília, acadêmica de Medicina.

“O estágio foi enriquecedor do ponto de vista acadêmico e humano. Acredito que a experiência de ter um contato próximo com os idosos foi positiva, uma vez que, ao entendermos que cada ser é único e compreendermos suas particularidades, tais como expectativas, medos e anseios, podemos modelar uma atenção especial a ele, de forma que é possível a criação de laços e, consequentemente, maior confiança entre nós, futuros médicos, e a população” – Giovanna da Silva, acadêmica de Medicina.

O encerramento das atividades práticas no Centro de Convivência “Tia Nega” ocorreu no último dia 12/06/2018 com o “Bingo da Saúde”. Por meio de um jogo de bingo adaptado, abordou-se de maneira resumida todos os temas trabalhados ao longo do semestre e foram distribuídos brindes para os idosos.

De acordo com a coordenadora do “Tia Nega”, Roberlucia Pereira Moezinho:

“O estágio de Medicina proporcionou aos participantes do Centro uma vivência da velhice de maneira integrada, ativa e saudável, com a orientação sobre práticas de autocuidado e melhora da qualidade de vida, além de produzir espaços de reflexão, debate e vivências que permitam ressignificar experiências, desenvolver novas motivações e possibilitar a construção de projetos de vida”.

Cabe destacar a importância da parceria entre a UFMS e os serviços municipais tanto para o desenvolvimento das ações de ensino, pesquisa e extensão sob as quais assentam a formação dos acadêmicos, como os benefícios para a população de Três Lagoas. Os alunos da disciplina também realizaram atividades práticas nas Unidades de Saúde da Família e na Instituição de Longa Permanência para Idosos do município, o que contribuiu para o desenvolvimento de um olhar multidimensional da velhice. Como ressalta a supervisora Profa. Dra. Rosimeire:

As ações de promoção da saúde e prevenção de doenças visam contribuir para o autocuidado e a qualidade de vida dessa população”.

No próximo semestre o Centro de Convivência “Tia Nega” contará com as ações de um projeto de extensão já aprovado pela Universidade e coordenado pela profa. Dra. Bruna Moretti Luchesi, o qual promoverá oficinas de memória para os idosos.

 

 

Compartilhe:
Veja também